Monday, September 1, 2014

Frase do dia - Phrase of the day - Josimar melo

 

   "A gastronomia é uma aquisição. Uma vez assimilada, a pessoa não consegue se livrar dela, passa a ficar mais exigente e a buscar o prazer que a boa comida proporciona."

Josimar Melo
Crítico gastronômico do jornal Folha de São Paulo

Friday, August 29, 2014

A Arte e a Gastronomia - Tjalf Sparnaay

 

Hoje apresentarei um pintor, que me chamou a atenção – Tjalf Sparnaay, pintor holandês, residente em Hilversum, na Holand; e que possui um estilo de pintura muito interessante, conhecido por hiprrealismo. Suas telas a óleo são baseadas em objetos do cotidiano,  de uso diário, tais como sanduíches, latas de refrigerantes amassadas, ovos fritos, sanduíches mordidos, hamburgers e sobremesas, porção de batatas fritas, lagostas, entre outros “modelos”. Ampliando-os de tal modo, permitindo que o espectador veja seus mínimos detalhes. Sua intenção é "dar a esses objetos uma alma e uma presença". Caracterizando seu estilo como ele denomina: "Mega-realismo".
"Espero que meus quadros permitam ao espectador a re-experimentar a realidade, para re-descobrir a essência das coisas que se tornaram tão comum em sua essência, mas com um nível de estrutura universal, em toda a sua beleza. Eu chamo-a de beleza do lugar-comum contemporâneo".
Sparnaay exibe seu trabalho na Holanda, Estados Unidos e na Inglaterra. Seus quadros foram vendidos por mais de US$ 55.000, 00. Seus trabalhos originais são expostos e vendidos por negociantes de arte em três países: Bernarducci Meisel Gallery, em Nova York, Plusone Gallery, em Londres e Mark Visser Peet Gallery, na Holanda.
Com vocês, Tjalf Sparnaay!



















 

Wednesday, August 27, 2014

Comida de Boteco - Carne-seca com abóbora


Vocês se lembram da D. Jura, personagem interpretada pela talentosa atriz Solange Couto? Pois bem, Solange escreveu um livro de receitas (Receitas de Botequim – Ed. Melhoramentos/ Coleções Caras - 2002) que tem a alma desta personagem, dona de um botequim e que no Rio de Janeiro, esta casa comercial é uma “instituição”. Talvez só perca para a bermuda do fim de semana.
E é no boteco – herança comercial originária de nossos irmãos lusitanos – que encontramos as mais diversas e saborosas receitas de comidinhas e comidões que desbancam muitas outras receitas – da nouvelle cuisine às mais saudáveis e dietéticas iguarias orgânicas e vegetarianas.
Não esperem encontrar nada fit nestes lugares. É lugar para encontrar proteínas em doses generosas e carboidratos em igual porcentagem. Talvez seja por isso que valha a pena fazer uma visita gastronômica a estes lugares. Mas não abusem, tá!?
Pois bem; voltando a nossa amiga, Solange. Ela escreveu uma receita de sua autoria que é um espetáculo. É claro que a turma do nordeste conhece, mas para quem não conhece lhes apresento: Abóbora com carne seca.
Com vocês a receita de Solange Couto (D. Jura)

Ingredientes

1 kg de carne-seca cortada em pedaços
2 colheres de sopa de óleo de milho
1 cebola ralada
3 dentes de alho amassados
1 pimentão cortado em tirinhas
1 tomate picado
Sal e pimenta-do-reino
2 kg de abóbora com casca, lavada e cortada em cubos
Salsa picada

Fazendo

      Escalde a carne-seca 3 vezes, no mínimo, depois escorra bem. Aqueça o óleo e doure a cebola e o alho. Junte a carne-seca, o pimentão, o tomate e tempere com sal e pimenta-do-reino a gosto. Misture bem e refogue por alguns minutos. Acrescente os pedaços de abóbora com a casca virada para cima, regue com ½ copo de água e abafe por 10 minutos ou até a abóbora ficar macia. Polvilhe com salsa picada e sirva acompanhada de arroz branco.

Tuesday, August 26, 2014

Foto do dia

Photo by - Paulo Huthmacher - natureza morta

Chocolate quente cremoso


Hoje, minha amiga Gica Rodrigues, baiana arretada lá de Salvador, me perguntou se eu tinha uma receitinha de chocolate quente cremoso. Na hora eu estranhei. Afinal, uma pergunta dessa vinda lá de Salvador, com o calorão que está fazendo...Mas enfim, pedido de amigo(a) a gente atende e nem reclama.
Então, lá vai Gica! Anote, faça e mate a vontade!

Ingredientes

2 xícaras (chá) de leite
1 colher (sopa) de maisena
3 colheres (sopa) de chocolate ou cacau em pó (não use achocolatado)
2 colheres (sopa) de açúcar
3 colheres (sopa) leite condensado
1 caixinha de creme de leite

Fazendo

Misture o leite, a maizena, o leite condensado, o chocolate em pó e o açúcar no liquidificador.
Despeje em uma panela e leve ao fogo baixo, mexendo sempre até que ferva.
Desligue o fogão e adicione o creme de leite. Mexa bem até ficar homogêneo e pronto!
Não é fã de nada muito doce? Tire o leite condensado.

Fica gostoso também salpicar um pouco de canela em cima do chocolate quente cremoso, ou misturar gotinhas de baunilha no leite antes de ir ao fogo!

Bom apetite!

Água de Rosas - Um ingrediente de sabor delicado e requintado


Ano passado, quando fui ao Rio de Janeiro, minha filha Luiza, me pediu para trazer Águas de Rosas para ela. Ela sabe que eu sempre que vou, faço minha visita obrigatória a Casas Pedro, um empório que vende vários ingredientes árabes, além de outros tantos da culinária nacional. E por ser o que é, lá sempre é possível encontrar um ingrediente de sabor delicado que dá um realce à doces e sobremesas – Águas de Rosas; comumente usada nas cozinhas do Sul e do Oeste da Ásia, do Oriente Médio e de parte da Europa. No Irã, entra, também, em chás, sorvetes e biscoitos. No mundo árabe e na Índia, é usada, ainda, para aromatizar leite e pratos de leite, como pudim de arroz, ou bebidas como o lassi, feita de iogurte batido com açúcar e frutas. Na Espanha, o manjar branco herdou da dominação árabe a Água de Rosas na receita. É utilizada, ainda, para aromatizar bolos e pães.
        O sabor da Água de Rosas é intenso e o aroma, bastante concentrado, por isso é bom usá-la com cautela. Combina com leite, damasco, nozes e frutas e pode compor receitas tanto de sorvete, quanto de mousses e coquetéis. Serve, ainda, para reforçar a fragrância de pratos salgados que levem pétalas de rosa na receita, como, por exemplo, o risoto de rosas.
        No Brasil, como eu disse, você encontrará uma boa água de rosas nos empórios árabes, especializados em ingredientes de culinária árabe e libanesa, e em casas especializadas de aromaterapia. Cheque sempre a validade na embalagem.
        As Águas de Rosas de boa qualidade são um produto 100% natural e servem, também, como um poderoso tônico facial e como colírio.



COMO SE PRODUZ ÁGUA DE ROSAS  

A Água de Rosas é um líquido concentrado que se obtém ao submeter as pétalas de rosa a um processo de destilação. Contém, até 1% de seu óleo essencial.
        Para produzi-la, as rosas são postas em alambiques de cobre com água - a relação é de 50 litros do líquido para 10 mil rosas. Após seis horas de aquecimento, o vapor destilado é resfriado e recolhido, resultando em água, óleo e substâncias hidrossolúveis. A flor mais usada é a rosa-de-damasco (Rosa x damascena Mill). Ela é muito perfumada, mas o conteúdo de óleo essencial em suas pétalas é ínfimo, por volta de 1%. Pode-se conseguir maior volume de óleo destilando a água de rosas uma segunda vez.

KASHAN - A Cidade da Rosas e da Água de Rosas


Localizada no centro do Irã, a cidade de Kashan (240km ao Sul de Teerã), região famosa por suas plantações de rosas damascenas, nativas dali, conhecidas, no Irã, como flor de Mohammadi, é o centro da produção comercial das Águas de Rosas iranianas, mundialmente conhecidas por serem as escolhidas para a lavagem anual  da Caaba (Kaaba), o santuário mais sagrado para os 1,3 bilhão de muçulmanos do mundo, e na direção do qual os islâmicos fazem suas cinco orações diárias. Kashan, também, é mundialmente famosa por seus tapetes.
      Com um clima ameno por todo o ano, suas roseiras produzem lindas e grandes flores que são colhidas entre abril e maio para o festival das rosas de Kashan, e para a produção da água de rosas. Segundo as estatísticas disponíveis, mais de 700 toneladas de rosas são produzidas na região anualmente.
    Ali, existem várias empresas familiares dedicadas, exclusivamente, à produção artesanal de Água de Rosas. Nas fotos abaixo, realizadas numa dessas empresas da pequena aldeia de Qamsar, nas cercanias de Kashan, hoje nas mãos da terceira geração da família, você vai poder ver a simplicidade das instalações em que se processa a produção.

 

     As pétalas de rosas são colocadas em um recipiente de cobre juntamente com água e deixados a ferver entre três e cinco horas. A água e a essência da rosa se condensam, e, através de um duto coletor, são colhidos em um outro recipiente, colocado em uma piscina de água fria. Quando o conteúdo deste recipiente esfria totalmente, pode-se abri-lo e retirar a água de rosas diretamente para os frascos em que são vendidos.
Fonte: http://correiogourmand.com.br/


Receita de água de rosas bem simples de preparar

Ingredientes
2 xícaras de pétalas de rosas, se possível rosas de quintal, pois não possuem agrotóxicos (não misturar cores); ou folhas de rosa secas

500ml de água filtrada ou mineral

Fazendo

Higienize as pétalas e coloque-as em uma chaleira, ou vidro com tampa. Ferva a água e despeje sobre as pétalas. Deixe em infusão por 30 minutos, coe e aguarde esfriar. Conserve em geladeira, em recipiente bem fechado.

Frase do dia - Diógenes

 

"Qual o melhor momento para o jantar? 'Se alguém é rico, quando quiser, se é pobre, quando puder'."

Diógenes
Filósofo grego - 412. a.C / 323 a.C

Labane - uma delícia da Galiléia


Há tempos que venho querendo fazer esta receita, pois para comprar a gente paga tão caro, que às vezes nem vale a pena. Por ser um prato saboroso, dificilmente a gente se contenta com pouco, daí meu interesse em fazer em casa e aproveitar o tanto que puder.
Estou falando do Labane, que é uma coalhada seca muito comum na região do oriente médio, particularmente na região da Galiléia. Apreciado por judeus e árabes, podendo ser saboreada com pão “sírio” ou servindo de recheio em pequenas folhas de alface.
Os ingredientes são apenas 3. Anotem.

Ingredientes

1 litro de leite (pode ser o de cabra)
150 ml de iogurte (idem)
2 colheres de sopa de leite em pó (opcional)

Fazendo

     Aqueça o forno em temperatura média e quando estiver bem quente desligue. Aqueça o leite até atingir a temperatura do corpo, desligue e acrescente o iogurte ou a coalhada, misturando bem. Junte o leite em pó e coloque a mistura numa tigela de vidro, barro ou louça, tampe e deixe descansar por uma noite dentro do forno aquecido que foi desligado. No dia seguinte leve a geladeira e deixe resfriar. Finalize com uma pitada de zaatar, uma boa dose de azeite e sirva em seguida.