Wednesday, April 16, 2014

Trabalhando em equipe


Dizem que em time que está ganhando não se mexe. Será mesmo? Será que a tônica da conversa será sempre esta?
Pois eu discordo. Como em um jogo de futebol ou vôlei, basquete e outros, em time que está ganhando, devemos mexer sempre. É preciso sempre ter um plano B ou C. Estabelecer uma dinâmica variável, pois a concorrência é inteligente e está sempre alerta para o sucesso de seu empreendimento.
Qualificar funcionários e estagiários é notoriamente, um dever básico em qualquer atividade comercial; porém, a continuidade dos treinamentos deve ser uma constante, inclusive do próprio empresário e seus gerentes. A versatilidade e gentileza no atendimento ao público e entendimento daquilo que se propõe vender, deve estar sempre em sintonia – a do trabalho em equipe.
É desagradável, buscarmos um serviço e aquele que nos atende, sabe pouco ou nada do que estamos pedindo. Nos indica a outro que sabe tanto quanto o primeiro e assim “passeamos” por um bom número de recursos humanos da empresa até chegarmos àquele que sabe exatamente o que pedimos. E pasmem, isto acontece não só em pequenas empresas, mas também em grandes empresas!
Quando falo “empresas”, pode ser qualquer segmento empresarial e as que nos dizem mais respeito, no ramo de alimentação.
Saber trabalhar em equipe é muito importante e cabe ao “técnico” estabelecer esta sinergia entre seus comandados. Não basta pensar na execução de uma tarefa individualmente. É preciso que todos estejam sintonizados no sucesso do grupo e na empresa em si. Ao final, todos ganham e a perpetuação no mercado se faz de forma mais consistente e duradoura.
Quem não gosta de ser bem atendido com rapidez, educação e de forma bem objetiva? Todos! É óbvio. Portanto é preciso que seu estabelecimento esteja sempre nesta sintonia de “visão de grupo”.
“Ah! Mas não é fácil!” diriam alguns. “Isto na teoria é ótimo, mas na prática é muito difícil de acontecer!”, diriam outros. Mas lembre-se que a eficiência da equipe é ditada pelo técnico. Por aquele que sabe liderar e se encarrega de fazer com que a equipe transcenda as regras do “manual” e exercite a criatividade de se superar sempre.
Tenho visto alguns restaurantes abrirem e fecharem de vez na mesma velocidade. Tenho visto outros tantos se manterem por um tempo pela força do capital empregado e não pela satisfação dos clientes. Mas tenho visto outros, serem referência na qualidade do atendimento, em todos os setores – e não estou falando de fast-food, por favor! São restaurantes (alguns de boteco), que  possuem uma percepção de administração com característica familiar, onde empregados e patrão trabalham juntos e unidos, mantendo sua freguesia por anos a fio e buscando sempre algo diferenciado – seja no cardápio ou na maneira de atender – fazendo com que nossa lembrança seja sempre ativada quando queremos levar alguém a conhecer um bom lugar para almoçar, lanchar, jantar ou simplesmente tomar um café.
         Não é um conceito, é uma realidade!

Monday, April 14, 2014

Sorvete de goji berry


    Essa receita nem  tem muito sobre o que falar, pois é muito fácil! Uma boa sugestão sobre como você pode utilizar a goji berry - frutinha asiática que auxilia a queimar calorias.
    Apesar de estarmos no outono, ainda dá tempo de tomarmos um sorvete - mesmo que seja de sobremesa ou à tarde, como um complemento ao lanche; e a receita é bem simples e rápida. Dica do blog de Aline Ritzmann.
     Anotem.

Ingredientes

2 bananas picadas e congeladas
1 colher de sopa de goji berry desidratada
1/2 colher de aveia

Fazendo

Bata as bananas e as bagas de goji em um liquidificador ou mixer, até formar um creme. Finalize com a aveia sobre o sorvete e sirva em seguida.

Bom apetite!

Tea Time - Photos

 
 
 

 

 

 

 

 

 

Todas as fotos acima, foram obtidas no site do Tumblr. Caso alguma delas tenha seu autor identificado, daremos os devidos créditos, conforme exigência legal dos direitos autorais.
Cozinhando com Amigos

Sunday, April 13, 2014

Goji Berry - a frutinha da vez


Todo ano aparece uma novidade nutricional, com promessas de trazer mais saúde à população e principalmente dar aos seus consumidores um corpo pra lá de sarado.
A tarefa de perder 20kg em 60 dias será tarefa fácil, se você seguir a prescrição de médicos e nutricionistas atentos às “modernidades” do dia a dia de tantos carentes e vaidosos.
Ingestão de misturas, cruas e cozidas; líquidas, desidratadas, em pó ou em cápsulas, são prescritas para aqueles e aquelas que querem perder peso em pouco tempo e com pouco esforço. Mudar as peças do guarda-roupa de tamanho 46 para 38 é tentador; e para isso, qualquer “esforço” imediatista é válido.
Chia, quinoa, óleo de coco, chá verde, chá branco entre outros, surgiram trazendo esperança aos “gordinhos” e “gordinhas”, de conseguirem ficar “enxutos” em pouco tempo. A sensação da vez, agora, é uma frutinha originária das montanhas do Tibete, chamada goji (goji berry, em inglês).

 

Mas que frutinha é essa e onde é que eu compro? Alguns já devem estar pensando ansiosos. Vamos conhecer então, o que esta frutinha traz de benefício; lembrando que as pesquisas a seu respeito ainda não são conclusivas em relação a sua eficácia.
A goji berry, como já disse, é cultivada na região sul da Ásia, podendo ser encontrada na China, Tibete e Índia. Também chamadas de Lycium barbarum ou Wolfberries: de cor vermelho brilhante, assemelham-se a uva-passa quando secas. Têm um sabor ligeiramente doce e azedo que muitas vezes é percebido como um mix de paladar entre uva-passa, cereja e framboesa.
Alguns pesquisadores, afirmam que ela é rica em variedade de aminoácidos, vitaminas, minerais, ácidos graxos insaturados, antioxidantes e polissacarídeos; e agrada à primeira vista por ser pouco calórica. Uma colher de sopa da fruta possui cerca de 50 calorias. Contudo, segundo eles, seus benefícios vão muito além da balança.


A alta concentração de vitamina C é um dos atrativos da fruta chinesa, como comprovado no trabalho publicado no American Journal of Clinical Nutrition. Cada 100 gramas da fruta contêm 2 gramas de vitamina C. Já 100 gramas, ou uma xícara de chá, da versão seca contém 2500 miligramas da vitamina, quantidade 50 vezes maior que a de uma laranja. Além disso, ela também possui grande quantidade das vitaminas B1, B2 e B6.
A quantidade de vitamina C já justifica o consumo diário de goji berry e, segundo a nutróloga membro da Abran (Associação Brasileira de Nutrologia) Marcella Garcez, sua ingestão por meio do alimento é muito mais eficiente para o organismo do que se fosse realizada em forma de suplementos. "Frutas com pigmentos vermelhos, como a goji berry, são ricas em carotenóides. Essas substâncias previnem doenças do envelhecimento e protegem a pele e os olhos", explica também a nutróloga Marcella Garcez.


Uma vez que o goji garante mais aminoácidos ao organismo, isso se torna fundamental para a produção das proteínas que serão usadas para enrijecer os músculos e reduzir a flacidez, explica o nutricionista clínico e funcional Fábio Bicalho.
Bicalho ainda revela mais um benefício que vai fazer as brasileiras caírem de amores pela fruta chinesa. A ingestão regular de goji berry combate a formação de celulite. “Ela é considerada um anti-inflamatório natural. Como a celulite é uma inflamação, a substituição de alimentos inflamatórios, como os que contêm gordura saturada e muita farinha branca pela goji, é ótimo.”


     Porém, Clayton Neves Camargos – especialista em autogestão em saúde, com expertise em nutrição, fitness e envelhecimento bem-sucedido – afirma que ainda é precoce acreditar que as goji podem contribuir à redução ponderal. A maior parte das pesquisas científicas relacionadas ao tema chama as alegações de suas propriedades curativas de "deslumbrantes" e os efeitos da dramática perda de peso de "totalmente ilegítimos" e "enganosos".


De acordo com o Ministério da Saúde, o único método seguro, confiável e saudável em longo prazo para diminuição do excesso de peso é a combinação de atividade física regular e dieta equilibrada de baixa caloria. A Associação Brasileira de Nutrição recomenda porções diárias de grãos integrais, laticínios com baixo teor de gordura, frutas, proteínas magras e legumes. De toda sorte, as goji berries podem certamente fazer parte de uma dieta que estimule a redução gradual de peso, mas não são mais importantes do que qualquer outro alimento benéfico presente em um plano alimentar equilibrado.
Pronto! Já que você agora conhece um pouco sobre essa frutinha, procure um bom especialista em nutrição e boa sorte!

Monday, April 7, 2014

Ragu - Um molho indispensável para acompanhar uma boa massa


Apesar de ser segunda-feira e por isso mesmo, não ser uma tradição preparar-se macarronada, resolvi fazer o inverso da tradição dominical e preparar neste dia, uma boa macarronada.
        É claro que não haveria rejeição por parte de minhas meninas, uma vez que macarronada será sempre a certeza absoluta de sucesso para qualquer freguês adolescente.
        A escolha da massa, porém, deve ser levada em conta. Nem todas as massas fazem parte do cardápio juvenil. Dando-se preferência pelas mais comuns – espaguete e talharim são as preferidas.
        Sendo assim, escolhi fazer um espaguete com cara de italiano, igual aquele que tenho certeza que você assistiu no desenho de Walt Disney – A Dama e o Vagabundo: Espaguete furado nº 5.
        Para este prato, é um dever de quem o faz, preparar um bom molho italiano. Não aqueles de sachê que você já compra pronto no supermercado ou no mercadinho perto de casa. Deve ser um bom molho grosso, encorpado, daqueles que você sente o aroma lá na portaria do seu prédio ou desde a casa da vizinha da esquina. Então, faça como os italianos. Faça um bom ragu!


Mas antes de eu lhes dizer a receite do prato que fiz, vamos saber exatamente o que é ragu.
        O termo ragu é de origem francesa – vem de ragoût, que pode ser traduzido como ensopado. Na Itália, o ragu é considerado um dos molhos mais nobres, preparado com carne, legumes, vinho e extrato de tomate.
        Ragout (ou também ragù) é um tradicional molho a base de carne cozida, usado na culinária brasileira, principalmente em São Paulo, pela colônia italiana.
        O ragu pode ser feito com qualquer tipo de carne, de preferência picada na ponta da faca, diz o restaurateur Umberto Vegetti, do Da Brambini.
        Entre as variações do molho, que costuma levar contrafilé, é comum usar carne de cordeiro, porco, peixe, rabada, costela e até escargot, sendo o mais tradicional, o ragu à bolonhesa. Para Umberto Vegetti, a receita legítima ainda tem que ter presunto de Parma, com a capa de gordura, picado do mesmo jeito que a carne. “E o caldo de carne precisa ser feito à moda antiga, com músculo cozido”, ensina ele.


Duas são as variantes principais, mais conhecidas:

Napoletano – diferentes carnes cozinhadas em fogo médio durante horas, extrato de tomate, azeite, cebola, vinho tinto, água – usado em rigatoni ou fusilli com queijo parmesão. A carne é servida separada, em porções, é o bracciole al ragu.

Bolognese ou emiliano – carne moída, picada ou desfiada com tomate – usado em fettuccine e pappardelle.

        Há outros tipos, também italianos na origem: sardo, piemontese, lucano (alla potentina), abbruzzese, barese (de macellaio), alla calabese etc.; e alguns especiais: di seppia (lula); di gamberi (camarão); de amêijoa e até mesmo de soja.
Alguns países têm suas próprias receitas, por exemplo:
AlemanhaSchweinepfeffer com base em carne de porco;

BélgicaHesbignon, feito em Hesbaye á base de rim de boi, tomates e genebra (bebida); e o Waterzooï com carnes brancas ou peixe, legumes e um caldo com creme;

CanadáRagôut de boulletttes, típico do Quebeque, com cubos de carne bovina e de porco (por vezes frango), cenouras, nabos e salsão; e Ragu de pattes, variante mais comum, para tempo de festas, usa pé de porco, cubos de porco com canela, cravo pimenta da Jamaica;

HungriaGoulash é uma ragu de carnes (boi, vitela, porco, carneiro, cavalo, etc.) com muita cebola e páprica.

Irlanda – Há variantes do Irish stew original, uma sopa feita num pote, usando também cerveja, que se assemelham ao ragu.

Itália – ragu tirolês da região de Trentino-Alto Ádige, feito com carne de porco, salsichas, tomates, caldo quante, batatas e vinho.

MarrocosTajines, prato tradicional do país, um ensopado, feito com vários tipos de carne, peixes, legumes, frutas, especiarias. O nome vem da tradicional panela marroquina de cobertura cônica, onde os alimentos cozinham.

Tunísia – Mloukhiya, carne com um molho verde escuro a base de corète potagère (Corchorus olitorius L.). A cor do molho se explica por tradições ligadas à religião muçulmana: a Hégira, o fim do luto e do Ramadan. Mloukhiya é de forma mais exata a folha seca da corète que, reduzida a pó, serve para fazer o molho.


Agora que você é uma pessoa expert em ragu, vamos a variante que fiz – Espaguete furado nº 5 com ragu de berinjela e linguiça calabresa.
Como não poderia deixar de ser, usaremos o espaguete citado acima. Mas o ragu...Ah! O ragu. Este sim merece uma atenção especial. Lápis e papel na mão ou guarde no seu bookmark.



Ingredientes

2 berinjelas médias, sem casca e cortada em cubinhos.
8 tomates sem pele e sem sementes picados
1 cebola roxa média picada
1 linguiça calabresa picada
1 colher de chá de sementes de mostarda
2 colheres de sopa de azeite extra virgem
1 colher de chá de noz moscada
1 colher de chá de lemon pepper
Sal q.b.
Pimenta do reino q.b.

Fazendo

Adicione o azeite em uma panela e deixe aquecer. Frite as cebolas até que estejam bem macias, em seguida acrescente os tomates picados. Deixe refogando em fogo baixo, até que estejam bem cozidos em forma de purê. Adicione a berinjela e os demais temperos.
Em uma frigideira, frite a linguiça com cuidado para que não fiquem torradas. Escorra a gordura e reserve.
Quando a berinjela estiver totalmente cozida, adicione as linguiças e deixe cozinhando em fogo baixo por 30 minutos. Adicione um pouco de água para que não fique muito grosso.
Enquanto isso,você prepara o macarrão, de acordo com a orientação do fabricante. Normalmente em torno de 8 minutos, o macarrão estará pronto.
Escorra a água do macarrão e coloque-o em uma travessa.
Cubra o macarrão com o ragu e sirva imediatamente!

    Bom apetite!

Monday, March 31, 2014

A Gastronomia e a Literatura


Visitando as livrarias, hoje em dia, podemos perceber que nem só profissionais da área culinária escrevem suas receitas. Pintores, intelectuais, reis, cantoras, ou seja, um sem número de personalidades que deixaram registrados suas preferências culinárias.
Dentre estas tantas personalidades, chama a atenção, um livro que reúne mais de 1.500 receitas da culinária portuguesa – O Cozinheiro dos Cozinheiros – descritas por 44 escritores portugueses e publicado em 1870, pelo editor português Paulo Plantier.
Um livro raro, objeto de desejo de muitos pesquisadores e historiadores que se encantam com a nobre arte da culinária portuguesa do século XIX; pode ser encontrado em alguns sebos na internet.
Como estamos entrando no outono, resgatei algumas páginas do livro que trazem algumas receitas de sopas. São imagens que mantêm a grafia original e que nos mostram bem, que a qualidade de uma receita atravessa séculos.
Espero que vocês as apreciem e se acharem o livro, compre-o, pois uma raridade dessa merece estar em sua estante.





     A seguir as receitas das sopas. Bom apetite!