Thursday, July 28, 2011

O Alfajor - um doce árabe com sotaque argentino

 

Confesso que a primeira vez que ouvi a palavra “alfajor” foi quando Cecília me ofereceu um. Logo vi que era um doce. Bem parecido com o nosso “casadinho”, só que maior; e indubitavelmente bem mais gostoso.
Uma massa delicada parecendo um pequeno sanduíche, tendo por recheio um delicioso e cremoso doce de leite. Iguaria jamais vista e muito menos degustada por mim.
Conheci um pouco da história do alfajor , por meio de uma amiga do Facebook, Monica de Sousa, uma divertida participante do grupo Giuseppina – Uma magia na cozinha de Ana Lúcia Marques.

A História dos Alfajores...
Argentinos? Uruguaios? ou Peruanos? A história do alfajor começa do outro lado do mundo, com as origens da cozinha árabe. Seu verdadeiro nome é “alhasú” e significa recheado. Ele chegou à Espanha no ano de 711 e em 1896 ele ganhou o formato redondo que tem hoje. Mas temos algumas historias diferentes e contraditórias de onde foi iniciada a produção dos Alfajores. Uns dizem Argentinos outros uruguaios, mas na verdade pelo que constam as historias foi no Peru e na Colômbia onde os primeiros Alfajores foram feitos.
Mas seguimos a história, sua antiguidade remonta às origens da culinária árabe, assim como outros parentes como nougat e o Torrone.

Andaluzia, Espanha

O Alfajor aprendeu a falar castelhano por volta de 711, quando a Espanha foi dominada pelos visigodos, cujo último rei, Rodrigo, foi derrotado pelos árabes. Posteriormente, a influência árabe durante séculos marcou o desenvolvimento da cultura espanhola, que, entre outras coisas, aprovou o doce típico (ainda hoje existe em Medina Sidonia, na província da Andaluzia, um grupo de produtores que preserva alfajores com a receita secreta original antiga, transmitida de pai para filho por meio de primogenitura). Nos séculos posteriores, e da conquista espanhola de novos portos, a divulgação de receitas antigas tomou próprio curso onde cada família guardava a receita como ouro e segredo.

A IMIGRAÇÃO ESPANHOLA PARA A AMÉRICA DO SUL E A CHEGADA DO ALFAJOR.

A pobreza e o desemprego no campo foram os responsáveis pela imigração espanhola na américa do sul. Começaram a chegar na década de 1880. Imigraram em grande número para o Brasil e outros paises da américa do sul até 1950, período em que entraram cerca de 900.000 espanhóis na América do Sul e eram principalmente oriundos da Galícia e Andaluzia.
Era desconhecido em nosso continente o significado da palavra alfajor até bem entrado o século XIX. O Alfajor é uma tradição espanhola de Córdoba onde nos conventos e casas religiosas do século XVIII eram preparados por mãos hábeis, entre outras iguarias, um ofício feito de dois bolos quadrados, unidos por caramelo, coberto por um glacê de açúcar comprimido chamado tableta.

Mosteiro de Córdoba, Espanha
O pioneiro dos alfajores argentinos foi, em 1869, D. Augusto Chammás (químico francês que chegou em 1840) que inaugurou uma pequena indústria familiar dedicada à confecção de doces e outros confeitos.


Na Argentina o alfajor é um produto de primeira necessidade, onde virou produto nacional, os mais conhecidos sem dúvida são os Havanna, Abuela Goye (particularmente acho o melhor de todos) ainda temos: Balcarce, Tofi, Águila, Cadbury.

Segundo Cecília, os alfajores artesanais produzidos ee Córdoba, na Argentina, têm um sabor diferente e também são bem gostosos. Recheados com frutas, não levam chocolate na receita, tendo um glacê por cobertura.
Para os que não puderem ir a Argentina, apresentamos a seguir, uma receita do alfajor. Existem outras variações de recheio, fica ao seu critério usar com ou sem chocolate. Aqui apresentaremos o de Córdoba, portanto, sem chocolate. Bom apetite!

Receita de Alfajor

Ingredientes

Massa:

250 g de manteiga

1 xícara (chá) de açúcar (160 g)

3 gemas

2 ½ xícaras (chá) de amido de milho (250 g)

1 ½ xícaras (chá) de farinha de trigo (180 g)

½ xícara (chá) de Cacau em Pó (36 g)

1 colher (chá) de bicarbonato de sódio

1 colher (chá) de fermento em pó

1 colher (café) de aroma de baunilha

1 colher (sopa) de conhaque

raspas de 1 limão


Recheio:

400 g de doce de leite pastoso
1 colher (sopa) de conhaque


Cobertura:
750 g de Cobertura de Chocolate Branco picado


Modo de Fazer:

Prepare a massa: bata a manteiga e o açúcar e, sem parar de bater, acrescente as gemas uma a uma, até obter um creme esbranquiçado e leve. Acrescente então o amido de milho, a farinha, o cacau, o bicarbonato, o fermento, o aroma de baunilha, o conhaque e as raspas de limão. Misture até formar uma massa homogênea, cubra com filme plástico e leve à geladeira por cerca de 10 minutos.

Polvilhe uma superfície limpa e seca com farinha de trigo e abra a massa com a ajuda de um rolo até ficar com uma espessura de 3 mm, como massa de biscoito. Corte a massa em quadradinhos de 2,5 cm. Acomode-os em uma assadeira untada e enfarinhada. Preaqueça o forno a 180ºC e asse por cerca de 15 minutos ou até começar a dourar. Retire do forno e com a ajuda de uma espátula, coloque os quadrados sobre uma grelha para esfriar.

Para o recheio, reduza o doce de leite: coloque-o em uma panela e leve em fogo médio mexendo sempre, para não grudar, por 5 minutos ou até que o doce esteja bem firme. Junte o conhaque e mexa bem. Espalhe o recheio sobre a massa fria e, em seguida, feche-a, formando uma espécie de "sanduíche". Cobertura: derreta o chocolate em banho-maria ou no microondas, na potência média por cerca de 4 minutos, mexendo na metade do tempo. Transfira para outro refratário limpo e seco, coloque este sobre uma travessa com água fria. Mexa continuamente, resfriando-o por igual. Você saberá o ponto certo para banhar quando colocar uma porção de chocolate sob os lábios e sentir que ele está "frio". Com o auxílio de um garfo, mergulhe cada alfajor no chocolate temperado, escorra os excessos e leve à geladeira por 5 a 10 minutos, o suficiente para secar. Sirva em seguida ou guarde envoltos em celofane ou filme plástico. Conserve os alfajores em lugar fresco e arejado.

8 comments:

  1. Eu amo Alfajor, especialmente aqueles cobertos de chocolate! Mas a fonte não sabia árabe!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Agora temos um muito bom feito no Rio Grande do Sul, Alfajor HG, que estou iniciando a venda em Lojas da cidade de São Paulo.

      Sergio Freire
      sergio.hbf@terra.com.br

      Delete
  2. Mhhhh delicious!! I ♥ Spain!! LOL

    ReplyDelete
  3. exquisito una verdadera delicia te ha quedado perfecto,abrazos fuertes.

    ReplyDelete
  4. That is quite a story about a cookie! Thanks, it's really interesting to learn about where the food comes from, not just how to make it.

    ReplyDelete
  5. Yeah, Jason! So....good cooking!

    ReplyDelete
  6. Muito interessante!
    Parabéns por seu blog maravilhoso, que, hoje, vou seguir todas as mensagens.
    Um abraço da Itália a partir de Veneza exatamente. :)

    ReplyDelete